quinta-feira, 22 de abril de 2010

DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL - 18/04

DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL: 18/04
DIA MUNDIAL DO LIVO: 23/04
O dia 18 de abril foi instituído como o dia nacional da literatura infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.

“Um país se faz com homens e com livros”. Essa frase criada por ele demonstra a valorização que o mesmo dava à leitura e sua forte influência no mundo literário.

Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil, brasileira. Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.

Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso.
Depois criou a história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Picapau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos oitenta, sendo regravado no final dos anos noventa.
Dentre seus principais personagens estão D. Benta, a avó; Emília, a boneca falante; Tia Nastácia, cozinheira e seus famosos bolinhos de chuva, Pedrinho e Narizinho, netos de D. Benta; Visconde de Sabugosa, o boneco feito de sabugo de milho, Tio Barnabé, o caseiro do sítio que contava vários “causos” às crianças; Rabicó, o porquinho cor de rosa; dentre vários outros que foram surgindo através das diferentes histórias. Quem não se lembra do Anjinho da asa quebrada que caiu do céu e viveu grandes aventuras no sítio?
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Na verdade, através de sua inteligência, mostrou para as crianças como é possível aprender através da brincadeira. Com o lançamento do livro “Emília no País da Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes, verbos e vários outros. Além desse, criou ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, porém com as brincadeiras se passando num pomar.

Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola
Projeto “Monteiro Lobato”

Introdução: Monteiro Lobato foi, verdadeiramente, um dos grandes homens da história desse país. Grande escritor, celebrado por gerações e gerações de crianças por seu espetacular trabalho “O Sítio do Pica-pau Amarelo”, Lobato foi também um empreendedor. Além disso, através de todas as suas produções e realizações queria por que queria fazer com que o Brasil pudesse crescer desenvolver-se, ocupar um lugar de destaque mundial dos países. Originário do interior de São Paulo, mais especificamente da cidade de Taubaté o escritor fez um pouco de tudo em sua vida. O que mais permanece na memória coletiva nacional é a sua forte ligação com as crianças. Proximidade e carinho conseguidos com o apoio da Narizinho, da Emília, do Visconde, do Pedrinho e dos demais personagens do Sítio. Em suas obras dedicadas as crianças, Lobato conseguiu verdadeiras façanhas como contar a história do mundo tornando-a divertida e atraente para os pequenos ou, ainda, falar de temas adultos e sérios de forma descontraída, como a questão do petróleo.

Justificativa: Conhecer a obra de Monteiro Lobato deveria ser atividade básica programada por todas as escolas de nosso país. Conhecer o Sítio e seus personagens, desbravando as páginas escritas pelo Monteiro Lobato, é muito mais que um dever escolar, é um grande prazer e contribuição essencial para o nosso próprio sentimento. Lobato significa literatura de muita qualidade e história. Não ler suas obras significa abrir mão de livros que simbolizam nossa própria identidade. O sitio do Pica-pau amarelo foi uma maneira que nós, professoras do Pré II, encontramos para apresentar aos alunos esse maravilhoso escritor, desenvolvendo nos alunos a paixão pela leitura.
Problemática: Nossos alunos gostam muito de historias e desenhos. Por isso resolvemos trabalhar, no mês do aniversario de Monteiro Lobato, as duas coisas: historias e desenhos. O desenho do Sitio do Pica-pau amarelo é um recurso que pretendemos usar para estimular ainda mais esse gosto das crianças Suas historias afloram ainda mais a criatividade das crianças.
Objetivos:- Conhecer o escritor Monteiro Lobato, bem como suas obras:- Criar nos alunos o hábito da leitura, através do contato com histórias;- Despertar um ambiente prazeroso para a leitura, onde a própria criança pede e sente vontade; - Proporcionar a socialização através de produção de textos orais junto aos colegas;- Desenvolver interesse e atenção por músicas, leitura, histórias e escrita.

Desenvolvimento:1.Apresentação do autor Monteiro Lobato:- Biografia;- Quebra-cabeça;- Músicas.2.Apresentação dos principais personagens e suas características:- Músicas;- Filmes;- Cartazes;- Dobraduras;- Confecção de bonecos;- Culinária;3.Confecção de um livro gigante:- Produção coletiva;Culminância: As professoras se caracterizarão de D. Benta e Tia Nastácia e contarão a historia do livro, criada pelos alunos do Pré II, para todas as turmas. Ao final receberão os bolinhos de chuva da tia Nastácia. As crianças do Pré II estarão vestidas de Emília (meninas) e Visconde de Sabugosa (meninos). A sala estará ornamentada para receber as crianças da escola num ambiente parecido com o Sitio do Pica-pau Amarelo. Serão recebidos com música, tema desta obra.
Conteúdos integrados:Matemática: Seqüência numérica e quantificação;Linguagem oral e escrita: Leitura, alfabeto e o próprio nome;Natureza e sociedade: Alimentos e animais;
Avaliação: Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação será relatórios diários no caderno de planejamento das professoras e será passado aos pais no final do semestre através do portfolio.
Bibliografia:Sites sobre educação;
Livro: Reinações de Narizinho
Dvd: Reino das águas claras
Revista: Professoras de Educação Infantil (abril 2006)

3 comentários:

  1. Dia Nacional do Livro Infantil



    18 de abril


    O Dia Nacional do Livro Infantil foi escolhido pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002, em homenagem ao escritor brasileiro José Bento Monteiro Lobato. Monteiro Lobato nasceu em 18 de abril de 1882 e foi o criador da literatura infantil no Brasil. Autor de inesquecíveis histórias infantis, entre elas O Sítio do Pica-pau Amarelo, cujos personagens Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho e Emília, marcaram a história da literatura infantil.

    O livro faz toda a diferença na formação de uma criança. Embora estejamos na era da informática, as histórias infantis fazem a criançada viajar num mundo de fantásticas aventuras e encantam todas as idades.

    Fonte: www2.portoalegre.rs.gov.br

    Dia Nacional do Livro Infantil
    18 de abril


    Lei Nº 10.469 - 08/01/2002
    Para comemorar o nascimento de José Bento Monteiro Lobato (1882/1948) , um dos maiores autores de livros infantis que a literatura brasileira já conheceu, foi instituído o Dia Nacional do Livro Infantil, pela Lei Nº 10.402. de 08 de janeiro de 2002.

    Companheiro de cabeceira de muitas das melhores cabeças que conhecemos hoje, os livros são os grandes formadores da infância, contribuindo para a aprendizagem de modo divertido e encantador.

    Monteiro Lobato acompanhou gerações de ávidos pequeno leitores, e nada melhor do que comemorar este dia perpetuando a tradição: leia muito e leia sempre!

    ResponderExcluir
  2. FONTE: Portal São Franscisco. Disponível em :http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/abril/dia-nacional-do-livro-infantil.php

    ResponderExcluir
  3. Metas traçadas:

    •Desenvolver um projeto coletivo envolvendo as turmas de Educação Infantil e Ensino Fundamental.
    •Estabelecer uma parceria constante entre os profissionais, afim de obter cooperatividade.
    •Instigar a curiosidade dos alunos e abrir espaço permanente para suas colocações.
    •Proporcionar a integração entre as turmas na busca e na socialização dos conhecimentos.
    •Atualizar a biblioteca escolar na medida em forem surgindo as necessidades.
    •Envolver a comunidade e funcionários no projeto de pesquisa escolar.

    Questão Orientadora:

    É viável associar os conteúdos programáticos com a Literatura de Monteiro Lobato?
    A obra de Monteiro Lobato poderá ser uma alternativa para despertar o interesse pela pesquisa, sem que seja descaracterizado o "ler pelo prazer de ler"?

    Objetivo:

    •Levar a Literatura de Monteiro Lobato ao conhecimento das crianças, demonstrando a importância da leitura, ajudando-as a perceber o quanto podem aprender de forma prazerosa.
    •Oportunizar aos alunos da Educação Infantil o contato com a obra de Monteiro Lobato e os personagens do Sítio do Pica- Pau Amarelo.
    •Estimular o interesse pela pesquisa.
    •"Viajar" com a turma do Sítio do Pica- Pau Amarelo, em busca de novos conhecimentos

    Nossa Caminhada:

    •Escolha do tema.
    •Coleta de materiais.
    •Organização do espaço.
    •Apresentação da obra de Monteiro Lobato às crianças.
    •Explanação aos pais sobre a Pesquisa como princípio educativo e o tema a ser trabalhado.
    •Desenvolvimento dos projetos em sala de aula.
    “CERTEZAS PROVISÓRIAS”:

    •A obra infanto- juvenil de Monteiro Lobato é de excelente qualidade.
    •Na obra de Monteiro Lobato existem histórias adequadas para crianças de 4 a 6 anos.
    •As crianças se identificarão com os personagens das histórias.

    DÚVIDAS TEMPORÁRIAS:

    •As histórias contadas em capítulos será uma atividade prazerosa para as crianças?
    •As crianças conseguirão concentrar-se na leitura das histórias, visto as mesmas conterem poucas ilustrações?
    •A fantasia, a curiosidade, a solução de problemas e a busca do conhecimento, fatores presentes nas histórias, despertarão o interesse pela pesquisa?

    OS PRIMEIROS PASSOS:

    Tendo definido um tema comum para desenvolver os trabalhos na Unidade Escolar durante o ano 2000, iniciamos as atividades organizando cooperativamente o espaço, para recebermos os alunos, decorando a escola com motivos referentes ao Sítio do Pica- Pau Amarelo. Buscamos desta forma despertar a curiosidade das crianças sobre os estranhos personagens de Monteiro Lobato.
    Num segundo momento, realizamos uma reunião com os pais para levar ao seu conhecimento a proposta de se trabalhar a Pesquisa Escolar como Princípio Educativo e o tema escolhido para dar suporte às atividades. Sabíamos que seria indispensável a compreensão e a colaboração destes, para que o trabalho a que nos propúnhamos realizar, realmente acontecesse.
    Iniciando o trabalho em sala de aula, "apresentamos" Monteiro Lobato e sua obra às crianças, manuseando os livros e comentando as ilustrações. Os alunos da 3a série, usando as fantasias adquiridas pela APP - Associação de Pais e Professores, apresentaram os personagens para as turmas de Educação Infantil. Montamos um livro com as figuras e descrição destes personagens, utilizando o material encontrado na INTERNET, no site do Sítio do Pica- Pau Amarelo
    Definimos as histórias a serem contadas e a forma com que isso aconteceria, visto serem extensas e com pouca ilustração. "Reinações de Narizinho", "Caçadas de Pedrinho" e "Viagem ao Céu" foram as histórias selecionadas e optou-se por contá-las em capítulos, logo no início das aulas.
    Os três livros deram origem a três projetos diferentes:
    "O Reino das Águas Claras" , "Bicho Fera, Bicho Bom", "Brincando com o Universo"

    ResponderExcluir