segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Robson França: educação pública deve ser de qualidade independente de filhos de políticos nela estudarem

Por Robson França em resposta a este post: O príncipe da Dinamarca estuda em escola pública, bem que a moda poderia pegar.

Discordo totalmente por várias razões:

1) Estamos transformando a escola pública em punição, castigo;

2) Estaremos “punindo” os filhos dos políticos e não eles mesmos. Se eles quiserem, podem contratar vários professores particulares. Ou mesmo forçar a lei para que os rebentos tenham a sua educação 100% feita em casa;

3) Qual a finalidade da escola pública? Atender quem não tem condições. Na teoria, a escola pública deveria ter a mesma qualidade das escolas particulares, ou mesmo uma qualidade superior. Quando eu era moleque, ninguém tinha vergonha em estudar em escola pública. E as crianças só estudavam em escolas particulares por conta de tradições;

4) Normalmente em cidades pequenas nem há outra alternativa: só há escolas públicas. Então esse efeito seria inócuo nesses casos;

5) Cristovam Buarque pode propor essa idéia não apenas porque seus filhos já devem estar mais velhos do que o alcance da sua proposta, mas também porque ele enxerga o Brasil como sendo Brasília, uma cidade formada por parlamentares, políticos e servidores públicos, a grande maioria com alto padrão de vida e poder aquisitivo. Mesmo as escolas públicas de lá (não sei, alguém pode me informar?) podem ter um padrão elevado, semelhante as escolas públicas “tradicionais” aqui de São Paulo. Obviamente isto não vale para as cidades-satélite, que acredito possuem uma realidade bem diferente da capital do Distrito Federal;

6) Os parlamentares que seriam afetados pelo projeto até iriam gostar disso, pois “economizariam” o dinheiro que seria “gasto” com uma escola particular colocando o filho em uma escola pública. Ah, tudo isso sem se preocupar com nada, pois para muitos congressistas, o que vale é o diploma;

7) Nossos “doutos” parlamentares podem até comprar a idéia, desde que sejam criadas “escolas públicas especiais”, as quais teriam todas as regalias. Os pobres, “ah, que comam brioches!”.

Por que o douto Senador não propõe o fim da LDB? O uso desvirtuado da proposta brilhante do saudoso Darcy Ribeiro criou escolas cada vez piores, professores desmotivados, uma separação besta de responsabilidades das três esferas do executivo (municipal, estadual e federal) e está mais atrapalhando do que ajudando.

Não aceito projeto demagógico para resolver uma questão tão séria quanto a da educação. Se o político quiser por o filho dele em escola particular, problema dele. Agora, por que raios um político no Brasil fica rico e ganha vultuosos salários? Será que se os políticos não recebem NADA ou um salário mais compatível com o tipo de trabalho que fazem as coisas não seriam diferentes?

Abraços
@robsonfr

Capturado no site:

http://mariafro.com.br/wordpress/2011/08/14/robson-franca-educacao-publica-deve-ser-de-qualidade-independente-de-filhos-de-politicos-nela-estudarem/ Data:22/08/2011, às 28:15h

Nenhum comentário:

Postar um comentário