sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Poesia Gaúcha: Brinco de Cigana








Brinco de Cigana

Pensamentos no ar...
Sabia que os colocaria mais e mais
Pensando intensamente
A cada segundo
E a cada sentido

Mas sei lá...
Tive que tragar meus pensamentos
E dar uma fugidinha
Saí pensando em quando vou te encontrar?
E a fundo de me apaixonar?


Sou mulher,
Linda e forte!
Ás vezes me sinto menos...
Como um girassol que precisa de um sol
Típico da leonina guerreira e sensível.

Por amor sou capaz de tudo,
O problema é me apaixonar.
Será que não nasci para o amor?
Ou será que ainda não aprendi a amar?


Como diz o Ira “Ciganos do Amor”
Mas não quero mais um amor virtual
Nem um amor semanal
Mas um amor pra sempre
Será que existe?

Acho que sim
Mas não me dei ao desfrute
Fujo dele como se me fizesse sofrer
Herança psicossocial?
Com algo mais...


Cigana do amor
Em busca de pátria,
De residência fixa
De se despir dos vários eus
E ainda continuar se amando, amando e sendo amada...

É beleza como a flor tal pensamento
A flor que denominei “Brinco de Cigana”
Que na verdade é de Princesa aqui no Sul
Mas não sei porque ...ou sei...
Mudei de nome!

Agora deslizo nesse teclado
Como se colocasse tudo para fora
A minha maior sensibilidade
E o meu maior desejo

Porque tenho tantos medos?
Porque tenho medo de amar?
Freud explica mas complica
Quero uma fórmula mágica
Uma varinha de condão que me deixe amar nua
De todo o sofrimento.


Como diz no livro o Corpo Fala,
Quando acariciamos um bichinho
Na verdade dizemos com o corpo:
“Quero amar”
e eu quero amar...


Amar sem medos
Com a beleza de uma cigana
E daquela flor linda
Que adorna cabelos e arranjos
Que enfeita casas e jardins...


Sou brinco de cigana
Que parece estar caidinha
Mas essa é uma diferença:
Servir de brinco,
Ser vista para quem sabe olhar para cima,
E não se contenta
Com o que está apenas em baixo dos olhos.



Flávia Garcia Fernandes
Ijuí, 29 de dezembro de 2005.






Obs: A flor "Brinco de Princesa" ou "Brinco de Cigana" é uma dos símbolos do Estado do Rio Grande do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário